Serviço Social

Visão Geral

O perfil profissional do egresso do Curso de Serviço Social é projetado a partir de alguns parâmetros que precisam ser explicitados. Eles se referenciam aos próprios projetos profissionais administrados no interior da categoria profissional, a direção social (neles) contida e a compreensão do espaço ocupacional pertinente ao assistente social no Brasil contemporâneo. Contudo, desde finais dos anos setenta, advoga-se um Serviço Social comprometido com os interesses históricos das classes trabalhadoras. Mais precisamente: um projeto profissional, radicalmente democrático que defenda a universalidade da prestação de serviços, vincule as práticas profissionais às necessidades e aos movimentos da massa da população que se vê excluída das conquistas do desenvolvimento econômico-social e de efetivos direitos de cidadania. É claramente a este projeto profissional que se conecta o perfil a que deve visar à formação oferecida pela FMB. Esse projeto é sustentado também por uma direção social nítida. Trata-se, a partir do reconhecimento do necessário pluralismo na sociedade e na profissão, de direcionar a formação e o exercício profissional para a análise e intervenção sobre os problemas concernentes às grandes maiorias populares e aos segmentos populacionais afetados pelas sequelas da “questão social”. Enfim, o espaço ocupacional remete ao mercado de trabalho. É ponto pacífico que a formação deve produzir um agente profissional apto a desempenhar as funções que lhe são atribuídas no mercado. Mas também é indiscutível que, assim como a formação acadêmica não pode restringir-se à geração de quadros técnicos capazes de apenas responder às exigências atualmente dadas no mercado de trabalho, o espaço ocupacional não se limita às práticas profissionais correntes e sancionadas. Pensado histórica e dinamicamente, o espaço ocupacional constitui-se na resposta às demandas dadas e na exploração (analítica e interventiva) das demandas possíveis e virtuais — donde a necessidade de uma formação que não se reduza à “formação para o emprego”, mas que, para além dessa formação, qualifique o agente profissional para detectar demandas possíveis e, com a elaboração de novas respostas, ampliar e diversificar o seu âmbito de atuação. Concebe-se a atuação profissional como prático-interventiva, que exige análises e interpretações da realidade, construção de estratégias de ação e referência a valores éticos — morais para a efetividade da intervenção. Eis porque a formação profissional tem natureza, teórico — prática: conhecimentos teóricos são a condição para operacionalizar estratégias prático-interventivas capazes de responder às demandas (imediatas e virtuais) que chegam aos assistentes sociais, na sua alocação em organizações públicas e privadas. Esta formação deve conduzir a um assistente social apto para investigar (pesquisar, analisar, elaborar), planejar (projetar, antecipar, organizar), a executar (gerir, implementar, operar).

Detalhes do Curso

O Curso de bacharelado em Serviço Social, na modalidade presencial, autorizado pela portaria nº 676, de 04 de julho de 2017, tem conceito 3 no MEC. O curso em atendimento a portaria nº 2.117, de 6 de dezembro de 2019, oferta 40% dos componentes curriculares na modalidade a distância. O detalhamento das disciplinas e dessa flexibilidade pode ser observado na matriz curricular.

Duração
Carga Horária
Portaria
8 Semestres
3.270H